Cada post aumenta um ponto

Image of male touching virtual icon of social network

 

Se dependesse do que rola nas mídias sociais, muito famoso já estaria morto. Desde que surgiram, elas são o terreno perfeito para disseminar boatos. Roberto Bolaños, o Chaves; Jô Soares, humorista e apresentador; e Justin Bieber, cantor e ícone teen, são apenas alguns dos que já foram “assassinados” pela internet. Além disso, outras mentiras pipocam nas timelines, como supostos vídeos de naves alienígenas e locais mal-assombrados.

Os boatos têm um nome especial na rede: “hoax”, que, traduzido para o português, significa “embuste”, ou seja, “mentira ardilosa”. Você, com certeza, já se deparou com uma dessas notícias ao acessar o seu perfil e talvez tenha até compartilhado alguma por acreditar que fosse verdadeira.

Uma das responsáveis pela disseminação dos hoax é a grande quantidade de informação. Em redes sociais, todos emitem e recebem mensagens. O antigo modelo de comunicação, no qual o emissor apenas envia a mensagem e o receptor apenas recebe, ficou no passado. Com isso, muitas pessoas passaram a dar mais valor à velocidade com que se passa uma informação do que à veracidade do conteúdo.

Apesar da agilidade ser extremamente positiva, o cuidado com o conteúdo disseminado é fundamental. É sempre bom checar as fontes das notícias e, em casos de dúvidas, uma pesquisa rápida em algum buscador pode tirar a pulga de trás da orelha.

“Você viu aquela notícia no Face?”

Há pouco tempo, as conversas eram pautadas pelas emissoras de televisão, rádios e jornais. Eram esses veículos que definiam o que as pessoas sabiam, conversavam e, consequentemente, pensavam. Agora, com o mundo na ponta dos dedos, a variedade de temas vai desde os buracos na rua da sua casa até o recente confronto entre Israel e Hamas, dependendo apenas do que se revela mais interessante para cada um.

Se, por um lado, as redes sociais democratizaram os assuntos, por outro, elas os tornaram superficiais. Como a quantidade de informação é muito grande, a maioria das pessoas presta atenção apenas em fotos e títulos. Se o assunto se mostrar interessante, elas talvez abram a notícia, leiam o primeiro parágrafo e só. Normalmente, param por aí.

Herbert Marshall McLuhan – canadense e teórico da comunicação – criou um conceito que retrata o mundo de hoje: “Muita informação gera desinformação.” As pessoas ficam sabendo o que acontece, mas não entendem as causas e as consequências dos fatos. Sabe-se muito pouco sobre muita coisa e o grande risco disso é que o debate tornar-se superficial.

Leave a Reply

quinze + dois =